SEGUNDA-FEIRA
10 de Dezembro de 2018 | 06:10

SJ reúne-se com responsáveis do Porto Canal para obter informações sobre reestruturação

Publicado a 22/07/2018 NOTÍCIAS

Já foram dispensadas cerca de 20 pessoas e fechadas quatro delegações.


O Sindicato dos Jornalistas (SJ) reuniu-se, a seu pedido, com Manuel Tavares, diretor geral da FC Porto Media, proprietária do Porto Canal, e com o director do canal televisivo, Júlio Magalhães, a quem manifestou estar preocupado com a reestruturação em curso.
Na reunião, realizada a 20 de julho, os responsáveis do Porto Canal confirmaram que foi feita e concluída uma reestruturação interna dos negócios de comunicação da FC Porto Media, nos quais se integra o Porto Canal.
Segundo o diretor geral da FC Porto Media, o objectivo foi reduzir custos e, para isso, foi decidido separar o Porto Canal da estrutura global, em termos de orçamentos, recursos humanos e conteúdos.
Os dois responsáveis confirmaram ainda que esta reestruturação implicou a redução do número de profissionais a trabalhar no Porto Canal, tendo sido dispensadas, ao todo, cerca de 20 pessoas, das áreas de informação, produção e grafismo, e fechadas quatro delegações, por alegada falta de retorno publicitário: Arcos de Valdevez, Guimarães, Bragança e Penafiel.
O SJ manifestou a sua preocupação sobre a dispensa de profissionais e questionou os diretores sobre a situação. Manuel Tavares adiantou que, do total de profissionais dispensados, dez, que já trabalhavam em conteúdos afetos à atividade desportiva do FC Porto no Porto Canal, transitaram para os quadros da FC Porto TV, com contratos efectivos. Os restantes, disse, foram dispensados através da não renovação de contratos a termo e da cessação de prestações de serviço (recibos verdes).
De acordo com Manuel Tavares, os conteúdos desportivos afectos ao FC Porto serão produzidos pelo canal digital FC Porto TV, enquanto os generalistas serão assegurados pelo Porto Canal.
A separação de orçamentos e da sua gestão foi também executada. A Porto TV passará a dispor de dois milhões de euros e o Porto Canal de três milhões, num total de cinco milhões de euros resultantes da verba proveniente do contrato com a Altice/MEO referente aos direitos de distribuição do Porto Canal.
O SJ questionou ainda Júlio Magalhães sobre o esvaziamento dos espaços informativos da estação de televisão, nomeadamente sobre a redução do número de noticiários. O diretor confirmou essa redução, justificando-a com o período de férias, em que a redação dispõe de menos jornalistas, mas, ao mesmo tempo, reconhecendo que essa redução foi maior neste ano, porque coincidiu com a reestruturação interna, que levou à dispensa de pessoas.
Júlio Magalhães disse que, em setembro, com a entrada da nova grelha, o Porto Canal vai assegurar três jornais generalistas (um deles será uma síntese) e um de desporto.
Nesta altura, o Porto Canal conta com 22 jornalistas, todos eles nos quadros da empresa, referiu o diretor, garantindo que a continuidade do canal está assegurada, que a reestruturação está concluída e que não serão feitas mais reduções de pessoal.
O SJ continuará a seguir este processo, de modo a defender o interesse dos jornalistas nele envolvidos.

Versão para Imprimir