TERÇA-FEIRA
25 de Julho de 2017 | 01:26

Jornalistas moçambicanos agredidos

Publicado a 12/07/2017 NOTÍCIAS

Ação foi levada a cabo por agentes de segurança do governo da província de Maputo. Sindicato dos Jornalistas manifesta solidariedade com os profissionais em causa. Sindicato Nacional de Jornalistas local condenou a situação e admite apresentar queixa à FIJ.


O repórter Abanês Ndanda e o fotojornalista António Nhagumbe, ambos do semanário Magazine Independente, foram agredidos por agentes de segurança do governo da província de Maputo, além de boa parte da informação que produziam para a publicação ter sido apagada, "em conluio com o gabinete de comunicação e imagem" da instituição. O Sindicato dos Jornalistas (SJ) condena a situação e manifesta a sua solidariedade com os profissionais em causa, depois de o Sindicato Nacional de Jornalistas local também já ter condenado o ato, além de admitir apresentar queixa à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ).

Segundo relata a publicação, os jornalistas foram abordados quando Nhagumbe fotografava a fachada do edifício do referido governo provincial. Os seguranças exigiram que as imagens fossem apagadas e, perante a recusa do fotojornalista, este foi conduzido ao interior do edifício onde lhe foi arrancada das mãos, de forma violenta, a máquina fotográfica e de imediato retirado o cartão de memória para que as imagens fossem apagadas.

Os seguranças alegaram que não havia autorização para a recolha das imagens e que, desse modo, seriam violados direitos de imagem da entidade. O cartão de memória foi devolvido, mas os dois jornalistas ficaram retidos, uma vez que se pretendia que assinassem um documento sem ler. Face à rejeição desse ato, ambos foram levados para uma sala de segurança, revistados e, depois de terem contactado a redação do seu jornal, foram-lhes retirados os telemóveis após agressão.

Seguiu-se um interrogatório em espaço fechado, na presença de quatro agentes, tendo sido apagados dos telemóveis, do computador portátil de um e da máquina fotográfica do outro vários documentos que estavam guardados.

A situação prolongou-se durante cerca de três horas.

Versão para Imprimir