SEXTA-FEIRA
23 de Agosto de 2019 | 21:23

SJ repudia novo ataque do PSD-Madeira a jornalistas

Publicado a 10/08/2014 Comunicados

A Direcção do Sindicato dos Jornalistas (SJ) repudiou hoje um novo ataque do PSD-Madeira, através do seu órgão oficial, "Madeira Livre", a jornalistas e outros profissionais de comunicação social naquela região autónoma.


Em causa, está a publicação, na última página do jornal de uma pretensa "piadola política", na qual os jornalistas Tolentino de Nóbrega, Lília Bernardes e Ricardo Miguel Oliveira e dois gestores são injuriados.

Comunicado

SJ repudia ofensa do PSD-Madeira a jornalistas


1. O órgão oficial do PSD-Madeira, “Madeira Livre”, publicou, na última página da sua edição de Agosto, um conjunto de fotografias de três jornalistas que trabalham naquela região autónoma e de administradores do Grupo Blandy e do “Diário de Notícias” da Madeira, encimadas, a toda a largura, pela seguinte inscrição: “A quem juntar cem cromos de cada um dos abaixo estampados, oferecemos um remédio contra a diarreia, numa acção de solidariedade social”.

2. Como se sabe, este tipo de ataque pessoal a jornalistas e outros profissionais de comunicação social na região não é inédito e os objectivos são sempre os mesmos: procurar denegrir nomeadamente os jornalistas visados e acirrar contra eles o ódio e até a perseguição .

3. Desta vez, a coberto de uma pretensa piadola política, o “Madeira Livre” vai a ponto de injuriar os nossos camaradas e os referidos gestores, com uma expressão que o director do órgão do PSD-Madeira e seus dirigentes sabem ser desprimorosa e constituir uma ofensa à consideração e à reputação dos visados, além de ser ofensiva para as próprias instituições de solidariedade social e para os milhões de pessoas que dela necessitam.

4. Face a tais ofensas, a Direcção do SJ repudia vivamente mais este acto, completamente reprovável, do “Madeira Livre” e do PSD-Madeira e manifesta toda a solidariedade para com os camaradas Tolentino de Nóbrega, Lília Bernardes e Ricardo Miguel Oliveira e com os gestores Michael Blandy e José Câmara.

5. Por outro lado, da leitura do editorial da referida publicação, assinado pelo seu director, resulta claro o enquadramento justificativo do ataque ao “Diário de Notícias” da Madeira – na sua imaginação, a origem da oposição na região! – da perseguição encetada contra o jornal e a TSF: “Quem está com o DN e com a TSF está contra o PPD/PSD-Madeira, contra os militantes do Partido, contra os dirigentes socais-democratas e contra o Povo da Madeira e Porto Santo”.

6. O SJ não está à espera de nenhuma retractação pública por parte de Jaime Ramos ou da Direcção do PSD-Madeira, não porque não seja devida, mas porque se conclui, face à reincidência, que os seus dirigentes convivem mal com a liberdade de imprensa e com a democracia e não hesitam em recorrer a métodos como este. Mais uma razão para, reiterando a sua solidariedade para com os visados e o seu apreço pelos jornalistas na região em geral, exortar todos à vigilância contra as provocações e condicionamentos e a prosseguir com elevado profissionalismo a sua missão de informar.

Lisboa, 11 de Agosto de 2014

A Direcção

Consulte aqui a edição do "Madeira Livre" em causa e recorde o comunicado do SJ de 1 de Março de 2012.

Versão para Imprimir