SÁBADO
24 de Agosto de 2019 | 13:14
Foto de João GirãoFoto de João Girão

Sofia Branco: “Conto com todos para garantir um sindicato para todos”

Publicado a 14/01/2015 Notícias, Acto de Posse, NOTÍCIAS

Os novos órgãos sociais do Sindicato dos Jornalistas tomaram posse esta tarde, na sede em Lisboa. A nova presidente da Direcção, Sofia Branco, apelou à participação de todos os jornalistas na vida do sindicato. Sofia Branco prometeu encontros com jornalistas por todo o país e a realização de um congresso no segundo semestre deste ano.


[Eis o discurso na íntegra]

Amigos, companheiros, camaradas,

A vida é mesmo feita de pequenos-nadas. E a prova disso é o projecto que nos trouxe até aqui. Tudo começou no pequeno nada de uma conversa a três, quando eu, a Ana Luísa Rodrigues e o Ricardo Alexandre decidimos passar das palavras aos actos para apresentar um projecto alternativo, convencidos que estávamos de que era preciso mudar, fazer diferente, para fazer melhor.

De três passámos a muitos mais e em tempo recorde fomos crescendo até termos o grupo dos 74 que formaram a Lista B. Mas outros houve, para além destes que hoje aqui tomam posse, que deram um contributo fundamental para que este projecto avançasse. Alguns nem sequer pertencem ao sindicato e nós esperamos que agora encontrem razões para se juntarem a nós.

Começo, por isso, por agradecer o empenho de cada um e cada uma neste projecto, que continuará a ser comum. Já o disse antes e repito: na equipa que hoje inicia funções no Sindicato dos Jornalistas não há suplentes, somos todos efectivos. Antes, como a partir de agora, conto com todos, para garantir um sindicato para todos.

Mas o futuro do Sindicato não depende apenas de nós, os que aqui estamos, nem dos seus associados. Precisamos que mais se juntem a nós. E, por isso, deixo aqui o meu apelo a todos os que, no passado, acharam que era possível fazer melhor, para se juntarem a nós neste projecto – tornando-se sócios e colaborando activamente connosco.

Nesse sentido, lançaremos, nos próximos dias, uma campanha de conquista e reconquista de sócios, que crie igualmente condições para a regularização das quotas em atraso.

Ao mesmo tempo, apostaremos em atrair novos sócios, nomeadamente entre as camadas mais jovens, com a consciência de que só elas poderão assegurar que este sindicato continuará vivo.

Tentaremos ainda reforçar as relações com os outros organismos da classe, nacionais e internacionais, na certeza de que juntos poderemos fazer mais e melhor.

Como prometemos durante a campanha, daremos prioridade a ouvir os jornalistas que trabalham nas redacções, mas também fora delas, numa altura em que muitos são freelance à força e precários por obrigação. Ao longo do primeiro semestre, organizaremos encontros com jornalistas em todos os distritos do continente e nas ilhas, para traçar o retrato do jornalismo real e recolher sugestões e propostas que possam ser utilizadas no congresso.

A realização de um congresso, 16 anos depois do último, é outra das nossas prioridades, que apontamos para o final do segundo semestre deste ano, em calendário a definir após conhecidas as datas das duas eleições, legislativas e presidenciais, que se avizinham e que mobilizarão muitos jornalistas.

Queremos fazer da reflexão sobre a profissão um hábito e, por isso, promoveremos um ciclo de debates regulares sobre temas da actualidade, nas instalações do SJ, assim as dinamizando. Este sindicato terá sempre as portas abertas a todos os jornalistas e ao público em geral.

Propomos um sindicato em diálogo contínuo com quem exerce a profissão, acompanhando as suas mudanças, mas também um sindicato com uma maior intervenção na esfera pública, nomeadamente junto das instituições de ensino de jornalismo e as organizações da sociedade civil.

Esta equipa compromete-se a defender os jornalistas portugueses, independentemente do seu vínculo profissional. Estaremos sempre do lado de um jornalismo livre, responsável e de qualidade.

Trabalharemos em obediência a princípios democráticos e de transparência, nomeadamente na comunicação com os nossos associados e comprometemo-nos a nunca deixar ninguém sem resposta.

Com esta equipa que agora inicia funções, todos os dias serão dias de lutar com a nossa gente, de olhos abertos de coragem, acreditando que dos muitos pequenos nadas de que é feita a vida acabará por se formar um grande tudo.

E agora convido-vos a juntarem-se a nós num brinde ao Sindicato dos Jornalistas com um vinho de homenagem a David Lopes Ramos, agradecendo a gentil oferta do produtor Luís Pato, amigo do David, a quem faz questão de prestar uma contínua homenagem, e à filha do David, minha camarada na Lusa, que aqui está connosco e que eu espero tenha trazido os documentos necessários para formalizar a sua inscrição.

Sofia Branco





Versão para Imprimir